Você está fora de sincronia com o mercado? Aqui está o que você pode fazer…

Eu tive diversas discussões com traders na semana passada na qual eu reparei um tema comum: muitas pessoas estão bem frustradas com o mercado. Vários se sentem fora de sintonia com os swings, e eu ouvi de mais de uma pessoa que “é como se eu estivesse fazendo tudo exatamente na hora errada.”

Eu acho que expectativas frustadas são a maior culpa. Na verdade, expectativas frustradas podem ser o motivo de muitos dos nossos problemas com os mercados. Deixe me explicar.

Sabemos que trading é difícil. Praticamente não preciso explicar porque, mas vejamos:

  • Edges (vantagens competitivas) objetivos são pequenos;
  • Decisões de trading envolvem um risco significativo;
  • Essas decisões são tomadas sob pressão e com informações limitadas;
  • Vieses Cognitivos conspiram para fazer tudo isso muito mais difícil.

É o último ponto que tem me chamado atenção: em todos os casos que recentemente vi um trader se sentindo completamente desconectado do mercado isso foi precedido por um período no qual ele tinha uma forte opinião sobre a direção do mercado.

Eu acredito que a questão aqui é que fortes opiniões, estejam elas certas ou erradas, são perigosas. Como?

Bem, primeiro há a forma óbvia. Quando estamos convictos podemos fazer algo estúpido em uma trade… e, por favor, lembre-se que estamos brincando com fogo. Existem consequências no mundo real.

(Eu conheci o amigo de um amigo que se convenceu que Deus o estava dizendo que o mercado de ações faria algo. Ele abriu uma operação com a “certeza” de que a Inspiração Divina estava por trás de sua decisão. Quando a trade não funcionou, ele perdeu sua casa e todo seu patrimônio. Essa não é uma história isolada — há situações sérias, e com consequência drásticas nas decisões de trading.)

Mesmo deixando de lado o real perigo financeiro, fortes opiniões nos cegam. Viés de confirmação pode deixar as pessoas literalmente incapazes de perceber informações contraditórias. Pessoas perfeitamente normais se tornam cegas a dados que contradizem opiniões e crenças fortemente defendidas.

Traders podem se tornar fisicamente incapazes de “apertar o botão” para sair de trades perdedoras. A mente, especialmente uma mente sob pressão e em um estado químicamente comprometido, é algo estranho e maravilhoso.

Tudo que escrevi acima é bem conhecido e qualquer um que leu algum livro sobre psicologia de trading já sabe disso (ainda assim um lembrete pode ser útil!). Mas eu me pergunto se há ainda outra camada nessa cebola.

Quando se prova que estamos errados e finalmente capitulamos, estamos já muito “dessincronizados” em relação ao mercado. O choque de estar errado, a inundação de emoções que vem com isso, pode ser incrivelmente desestabilizador.

Se somos traders de ações, “jogamos a toalha”. Consistentemente nós, enquanto massa de traders, fazemos isso… exatamente no “fundo” (do mercado). A natural reversão à media entra em ação e aquilo que vomitamos começa a boiar se distanciando das mínimas. Emoções vão se acumulando…

Eu acredito que a resposta é nos esforçarmos para pensar constantemente em termos de probabilidades. Quando você tem uma ideia de trade, gaste tempo ativamente considerando como ela pode não funcionar, e buscando ativamente contradições na ideia.

(Minha abordagem pessoal e distorcida é considerar que cada operação que entro vai ser uma trade perdedora e me colocar na mentalidade na qual eu espero isso. Quando a trade dá certo, eu fico prazeirosamente surpreso, mas não tenho nenhum apego a nenhuma trade e nenhum problema em sair fora de uma operação quando ela não está funcionando.)

Como eu disse, não há nada de revolucionário aqui, mas o lembrete constante de se pensar em probabilidades e de se evitar o apego a qualquer trade é sempre útil… e talvez valha a pena você gastar um tempo pensando nisso quando você se sentir fora de sincronia com o mercado. Isso foi precedido de períodos que você tinha uma forte convicção ou tinha certeza sobre o que iria acontecer? Se sim.. acho que você sabe o que fazer!


Compartilhe


Conheça